Kleber Mendonça Filho tem um trabalho abrangente como crítico e programador. Foi responsável pelo setor de cinema da Fundação Joaquim Nabuco durante 18 anos, e é diretor artístico do Janela Internacional de Cinema do Recife.

Como realizador, migrou do vídeo nos anos 90 para o digital e o 35mm na década de 2000. Seus filmes receberam mais de 120 prêmios no Brasil e no exterior. Sua primeira experiência no longa metragem é o documentário Crítico (2008), realizado ao longo de nove anos.

O Som ao Redor (2012) foi seu primeiro longa-metragem de ficção, exibido em mais de 100 festivais internacionais. O filme foi o representante brasileiro no Oscar 2014 e considerado “Um dos 10 Melhores Filmes do ano” pelo jornal The New York Times.  Aquarius (2016), seu segundo longa, teve uma carreira ainda mais prestigiosa, estreando na competição do Festival de Cannes e distribuído em mais de 100 países. Seu longa Bacurau, co-dirigido por Juliano Dornelles, venceu o Prêmio do Júri do Festival de Cannes de 2019.