O Projeto Paradiso amplia seu foco em internacionalização na 70º Berlinale, que registrou número recorde de filmes brasileiros selecionados. Serão apoiados 8 longas de ficção selecionados para quatro seções diferentes da Berlinale (Competição, Encounters, Panorama e Generation), além de três projetos selecionados para o Co-production Market. Em 2020, 19 filmes brasileiros participam do Festival alemão.

Contribuir para a presença de profissionais brasileiros selecionados em importantes festivais faz parte do eixo de internacionalização do Projeto Paradiso. Lançado em 2019, o Projeto estreou o seu apoio a obras em festivais internacionais em março do mesmo ano, com “Bacurau”, quando o longa esteve em competição em Cannes. No Festival de Rotterdam, em janeiro de 2020, apoiamos a presença do projeto “Princesas” no CineMart, o mercado de coprodução do Festival.

Nesta edição de Berlin, o Projeto Paradiso apoiará, entre outros, o filme anunciado hoje pelo Festival como integrante da mostra competitiva: “Todos os Mortos”, de Marco Dutra e Caetano Gotardo é o único longa brasileiro que concorre ao Urso de Ouro.

As demais obras apoiadas são: “Los Conductos”, de Camilo Restrepo (Encounters); “Cidade Pássaro”, de Matias Mariani; “Um Crimen Comun”, de Francisco Márquez; “Vento Seco”, de Daniel Nolasco (Panorama); “Alice Junior”, de Gil Baroni; “Irmã”, de Luciana Mazeto e “Meu nome é Bagdá”, de Caru Alves de Souza (Generation). Os projetos selecionados para o Co-Production Market que também receberão apoio são: “Casa no Campo”, de Davi Pretto; “Zafari”, de Mariana Rondon  e “Pedágio”, de Carol Markowicz. Carol é uma das profissionais que já integra a rede de talentos do Projeto Paradiso e recebeu bolsa ano ano passado.

Além dos apoios aos longas, o Projeto Paradiso também firmou parcerias com Spcine e Cinema do Brasil, de forma a contribuir com a presença das organizações em Berlim e somar esforços nas ações durante o festival.